Registo

GrupoGrupo 2 - Pinschers, Schnauzers, Molossóides, Cães de Montanha e Boieiros Suiços

Secção do grupoSecção 2.1 - Molossóides

País de origemChina

Data de origemXVI

Primeira utilidadeLuta contra cães

Características principaisIndependente e calmo

TamanhoMédio

Altura44 - 51 cm

PelagemCurta

Esperança média de vida10 anos

Nivel energéticoBaixo

Nível de brincadeiraBaixo

Nível de afectoMédio

Exercício necessárioMédio

Experiência do dono com cãesBaixo

Cuidados com a pelagemBaixo

Foto Shar Pei

Sabia que

O nome Shar Pei refere-se directamente à textura do pêlo da raça? O pêlo foi especialmente desenvolvida para irritar a boca dos seus oponentes, podendo causar uma certa irritação.

A aparência única, a personalidade e a reputação de “raça rara” do Shar Pei tornaram-no uma das raças mais populares no mundo inteiro. Desde o “focinho de hipopótamo” e testa franzida até à sua pele enrugada, o Shar Pei é tanto cómico como irresistível. Os seus fãs enaltecem o seu afecto pela família e o seu instinto protector para com a mesma. Curiosamente, também reconhecem traços de gato no seu carácter: é calmo, ágil, asseado, guarda para si algum tempo de independência, ladra pouco (mas não mia!) e demora algum tempo para se adaptar a novos ambientes.

O Shar Pei é um cão cheio de peculiaridades. As rugas permitem que este se proteja de um possível ataque – as rugas são muito abundantes em cachorros mas tendem a esbater com a idade. O seu pêlo tem uma textura que irrita a boca de qualquer cão que o ataque, podendo até irritar a pele de pessoas mais sensíveis. Tal como o seu primo Chow Chow, a sua língua é preta azulada, assim como o palato, as gengivas e os lábios. As suas rugas ao pé dos olhos fazem com que o Shar Pei tenha uma visão limitada. Assim, se não estiver suficientemente sociabilizado pode torna-se assustadiço, tímido ou até agressivo. Como um bom cão de guarda, o Shar Pei tem ainda tendência a ser territorial. Com a correcta sociabilização, o seu Shar Pei tornar-se-á menos territorial, menos reservado em relação a estranhos e mais confiante em diferentes tipos de ambientes e situações.

O Shar Pei é um cão que se adapta bem à vida num apartamento pois é muito calmo. No entanto, é um cão de porte médio e, como tal, precisa de fazer exercício. O Shar Pei tem alguma tendência à indolência, caso o seu dono não o motive.

O Shar Pei não exige grandes cuidados em termos de pelagem, libertando mais pêlo somente na altura da muda de estação. No entanto, se estiver muito sujo, é necessário dar-lhe um banho – o que não é uma das suas actividades favoritas! Neste caso, lave-o e seque-o bem com uma toalha. Outro aspecto são as suas unhas que têm a tendência a crescer rapidamente exigindo o corte uma vez por semana (mas cuidados com o sabugo!). Os Shar Peis não são grandes fãs do corte das unhas, por isso, o melhor é que estas sejam naturalmente limadas à medida que o cão se movimenta ou então habitue-o o seu Shar Pei desde cedo a esta rotina.

A raça Shar Pei, desde a sua “quase” extinção até aos dias que correm, evoluiu bastante. Os amantes da raça usaram as características únicas da raça para a promover. A sua pele enrugada e o seu focinho cheio (chamado “meatmouth” ou focinho de hipopótamo) são fruto de uma dupla mutação genética que distingue os Shar Peis de todos os outros cães. O gene mutado é responsável pela síntese de ácido hialurónico que é um regulador da inflamação, ou seja, quando há um ataque ao organismo do cão, este ácido é a sentinela para a activação de todos os mecanismos de defesa. Todos os Shar Peis têm a mutação (simples ou dupla) mas como o segmento mutado é instável pode duplicar espontaneamente fazendo com que cada Shar Pei apresente um número diferente de cópias deste gene. Quanto mais cópias do gene existirem no genoma, mais ácido é produzido e mais se acumula na pele, resultando em cães com maior excesso de rugas. Quando esta substância está presente em elevadas quantidades desperta o sistema imunitário do cão induzindo os mecanismos de defesa contra a inflamação, os quais contribuem para episódios de febre nos Shar Pei – a conhecida Febre da Família Shar Pei (FSF). Para além de fenómenos de auto-inflamarão, o ácido hialurónico em excesso pode ainda contribuir para outras patologias observadas na raça. Assim, se está decidido a ter um Shar Pei é importante escolher um criador responsável, com sólidos conhecimentos, que seleccione e crie cães saudáveis e equilibrados e não meramente por moda ou aparência.