Registo

Aparência Geral

Cão de grande tamanho, possante, rústico, sóbrio e tranquilo. De perfil, a cabeça é ligeiramente convexa; o conjunto da estrutura é mais comprido do que alto (sub-longilíneo).

Cabeça

Volumosa, quase maciça, proporcional ao seu tamanho; larga na parte posterior do crânio, mais estreita e menos convexa na fronte. Os eixos superiores crânio faciais moderadamente divergentes.

Crânio

Largo; abaulado nos dois eixos; arcadas supraciliares não salientes; sulco frontal pouco pronunciado entre e acima dos olhos; protuberância occipital pouco marcada; as faces laterais são bem musculadas.

Stop

Pouco pronunciado.

Trufa

Oval, com a extremidade ligeiramente truncada de cima para baixo e de diante para trás; narinas bem abertas de cor preta.

Chanfro

Direito, corte transversal abaulado. A base é larga e alta, estreitando moderadamente até à extremidade; o chanfro é mais curto que o crânio.

Lábios

Pretos, ligeiramente arredondados à frente, sobrepostos, bem rasgados; espessura média; de perfil inferior ligeiramente curvo.

Maxilas e Dentes

Fortes e bem desenvolvidos; articulação em tesoura, sendo tolerada a articulação em pinça.

Faces

Ligeiramente marcadas com região masseteriana saliente.

Olhos

Pequenos; de forma elíptica, à flor da pele, castanhos (de preferência escuros). Pálpebras de pigmentação escura, firmes e acompanhando a forma do globo ocular. Expressão calma.

Orelhas

Colocadas a média altura, pouco móveis, pequenas, dobradas e pendentes. A base é estreita; o comprimento é igual ou ligeiramente superior à largura. Triangulares e arredondadas na extremidade. Quando o cão está atento, as orelhas ficam dobradas, mantêm-se direitas na base e as dobras tornam-se mais marcadas no sentido longitudinal.

Pescoço

Boa saída de pescoço; direito; curto; forte; com uma só barbela (simples) de espessura regular e em proporção com o tamanho do cão.

Tronco

Possante; bem musculado, o comprimento é ligeiramente superior à altura ao garrote, volumoso.

Dorso

Ligeiramente mergulhante, quase horizontal.

Linha Superior

Direita, quase horizontal, tolerando-se uma ligeira inclinação da frente para trás.

Garrote

Pouco saliente, bem ligado ao pescoço.

Lombo / Rim

De comprimento médio; direito e largo; bem musculado.

Garupa

Ligeiramente descida; de comprimento médio; larga e musculada, em proporção à corpulência.

Linha inferior e ventre

O esterno é quase horizontal; o ventre não é arregaçado, e prolonga a linha do esterno.

Peito

Largo; bem descido, à altura do cotovelo ou ligeiramente abaixo. Peitoral largo e muito pouco marcado. Costelas bem arqueadas; ligeiramente inclinadas em direcção ao dorso.

Cauda

De inserção média no prolongamento da garupa; espessa na base, pode ser ligeiramente encurvada ou voltada na extremidade, mas não quebrada; comprida. Em repouso, cai pelo menos até ao jarrete, de preferência um pouco abaixo; quando em acção pode levantar e enrolar sem se apoiar na linha superior.

Membros Anteriores

Fortes, afastados, bem aprumados de frente e de lado.

Braços

Fortes; de comprimento médio; inclinados e musculados.

Cotovelos

Encostados ao tórax, nem virados para dentro nem para fora; angulação úmero-radial entre 130º e 135º.

Ombros

Fortes; de comprimento médio; bem desenvolvidos e musculados; angulação escapulo-umeral próximo dos 105º.

Antebraços

Verticais; compridos; fortes; bem musculados.

Carpos

Espessos; com boa articulação.

Metacarpos

De comprimento médio; espessos; ligeiramente inclinados.

Mãos

Os dedos são grossos, fechados (não afastados) e ligeiramente encurvados (arredondados); unhas fortes, variando de cor conforme a pelagem; as almofadas são espessas e resistentes.

Membros Posteriores

Fortes; afastados; bem aprumados vistos de trás e de lado.

Coxas

Compridas; largas; musculadas mas sem exagero; angulação coxo-femural cerca de 105.º

Joelhos

Articulações fortes; na linha do corpo sem desvios para fora; angulação femuro-tibial entre 125º e 130º.

Pernas

Fortes; moderadamente inclinadas; de comprimento médio; bem musculadas.

Tarsos

Fortes; secos, de altura média; com angulações tíbio-társicas cerca de 140º.

Metatarsos

Grossos, de comprimento e altura médios; muito ligeiramente inclinados; podem apresentar presunhos simples ou duplos.

Pés

Os dedos são grossos, fechados (não afastados) e ligeiramente encurvados (arredondados); unhas fortes, variando de cor conforme a pelagem; as almofadas são espessas e resistentes.

Movimento

Pesado, lento, bamboleante sem exagero.

Pelagem

Pêlo

Pêlo curto ou de preferência meio comprimento; espesso, liso e denso, regularmente distribuído até aos espaços inter-digitais.

Cores

De cor preta, lobeira, fulva ou amarela, tigradas ou não, sempre com marcas brancas; branca com marcas das cores precedentes.

Pele

Espessa, quase tensa; mucosas internas parcial ou totalmente pigmentadas de preto, sendo as externas totalmente pigmentadas.

Dimensões

Proporções importantes

  • A relação largura/comprimento do crânio deve ser 1/2.
  • Rectangular (sub-longilíneo); sendo a altura ao garrote ligeiramente inferior ao comprimento do corpo.
  • A relação do comprimento do chanfro/comprimento do crânio deve ser 2/3.
  • A altura do peito deve ser ligeiramente menor do que metade da altura ao garrote.

Altura ao garrote nos machos

66 a 74 cm.

Altura ao garrote nas fêmeas

64 a 70 cm.

Peso Machos

45 a 60 kg.

Peso Fêmeas

35 a 50 kg.

Comportamento

A expressão é calma e confiante, nem agressivo, nem tímido. Excelente guarda das herdades e quintas. É igualmente útil para a protecção de rebanhos, sobretudo durante a noite, sendo pouco tolerante na defesa do território ou das propriedades que lhe são confiadas.

Faltas

Qualquer desvio em relação ao estalão deve ser considerado como defeito e será penalizado em função da sua gravidade e das suas consequências na saúde e bem estar do cão.

  • Comportamento: Timidez.
  • Aspecto geral: Má condição, magreza ou obesidade.
  • Chanfro: Comprido, estreito, de perfil ligeiramente curvo ou truncado verticalmente.
  • Linha dorsal: Encarpada ou enselada.
  • Garupa: Comprida, muito descaída, estreita.
  • Cauda: Inserção muito alta ou muito baixa.
  • Membros: Jarretes fechados ou muito afastados à frente; angulação incorrecta e jarretes que não são perpendiculares ao solo.
  • Pés: Não proporcionados ao tamanho, planos ou pés de lebre.
  • Pelagem: Em más condições; pêlo comprido, cerdoso ou ondulado.

Resumo Histórico

No início da transumância, o que implicava a deslocação temporária de grandes rebanhos, constatou-se que o gado estava exposto a numerosos perigos no decurso desses longos trajectos. Nas estradas em direcção às montanhas no Verão e aquando do regresso às planícies no Inverno, os rebanhos foram sempre acompanhados por grandes cães; daí resultou que a raça se expandisse de uma região a outra ao longo destes percursos. Tal facto explica a chegada deste cão possante, denominado Rafeiro do Alentejo desde o final do século XIX, às planícies alentejanas. : Julga-se que este cão descende dos molossos do Médio-Oriente. De acordo com o seu tamanho e coragem foi utilizado pelas tribos cuja sobrevivência dependia da criação de rebanhos; tinha assim um papel primordial nessas comunidades.

Outros

Utilização

Guarda de propriedades e rebanhos.

Provas de Trabalho

Não

Nota

Os machos devem sempre apresentar os dois testículos, de aspecto normal, bem descidos no escroto.

Número do estalão 96

Data de publicação do estalão de origem em vigor 4 Janeiro 2008

Data da última revisão Doglink 9 Março 2013

Fonte Clube Português de Canicultura