Registo

Outros nomes da raçaGreyhound

GrupoGrupo 10 - Galgos

Secção do grupoSecção 3 - Cães com pêlo curto

País de origemGrã-Bretanha

Data de origemXIX

Primeira utilidadeCaçar lebres

Características principaisInteligente e amigável

TamanhoGrande, Gigante

Altura68 - 76 cm

PelagemCurta

Esperança média de vida15 anos

Nivel energéticoBaixo

Nível de brincadeiraMédio

Nível de afectoMédio

Exercício necessárioMédio

Experiência do dono com cãesMédio

Cuidados com a pelagemBaixo

Foto Galgo Inglês

Sabia que

O Greyhound é a única raça canina mencionada na Bíblia (Pb. 30: 29-31).

É uma chita? Não, é um Greyhound! Realmente, o Galgo Inglês ou Greyhound assemelha-lhe bastante a um grande felino: o seu movimento atlético capaz de atingir velocidades acima dos 70 km/h, a sua visão estereoscópica que lhe permite localizar qualquer animal em movimento e o seu carácter independente faz com que não seja tão carente como os outros cães. Ainda assim, preferem companhia humana do que muito espaço livre e só são realmente felizes se poderem partilhar a casa com o seu dono.

O Galgo Inglês tem um temperamento tranquilo adaptando-se facilmente à vida num apartamento. Adora estar junto da sua família para a qual reserva todo o seu afecto. Agora, se espera que ele faça uma festa quando os seus amigos o forem visitar, é melhor escolher outra raça. Dá-se bem com crianças mas não tolera brincadeiras agressivas, por exemplo: montá-lo como se de um cavalo se tratasse. Assim, antes de os introduzir, certifique-se que estas sabem como tratar respeitosamente um cão.

Treinar um Galgo Inglês é relativamente fácil pois ele é um cão inteligente. No entanto, o facto de ser independente faz com que seja um tanto teimoso. Ainda assim, nunca ceda, seja paciente e eduque-o com consistência. E saiba também que são animais sensíveis por isso o recurso à força só atrasará o processo de aprendizagem.

Passear um Galgo Inglês na rua é uma actividade que pode acarretar muitos riscos caso este ande sem trela. Por mais bem treinado que esteja, se vir um gato vai começar a correr e ninguém (nem mesmo o dono) o vai conseguir parar, podendo vir a ser atropelado. Assim, a trela é mesmo obrigatória. Opte também por uma coleira e nunca peitorais: são mais fáceis para conseguir controlar um cão de 30 kg! 

Como outros cães de corrida, também esta raça está associada à polémica de utilização de cães exclusivamente para corrida e o seu sacrifício após a sua aposentação. Mas felizmente, alguns dos cães são resgatados por organizações que se preocupam em reintegrá-los na sociedade.

Há criadores de Galgos Ingleses que só fazem maioritariamente provas de beleza com os seus cães de forma a garantir que estes se enquadram ao máximo no estalão da raça. Outros criadores fazem unicamente provas de caça para mostrar todo o potencial atlético dos seus cães. No entanto, quer o foco seja beleza ou carácter, todos os bons criadores analisam a saúde dos seus cães. Tanto em Portugal como todo o Mundo, uma das doenças mais preocupantes da raça é a Neuropatia do Greyhound (GN) que se transmite de forma recessiva de geração em geração. Esta doença caracteriza-se pelo progressivo enfraquecimento da massa muscular, intolerância ao exercício e movimentos de galope não característicos da raça. Felizmente, os Greyhounds que possuem só uma das cópias do gene não manifestam a doença, ao contrário dos que têm duas cópias. Por isso mesmo, é importante que o criador se certifique que os reprodutores estão livres desta doença. Ainda assim, lembre-se que ter um cão com uma deficiência motora é uma experiência mais desafiante, no entanto tão gratificante como ter um cão saudável.