Registo

Aparência Geral

O Pastor Belga é um cão mediolíneo de proporções harmoniosas, combinando elegância e força, de tamanho médio, com uma musculatura seca e forte, inserido num quadrado quando visto de perfil, rústico, acostumado à vida ao ar livre e criado para resistir às variações atmosféricas tão frequentes no clima belga. Pela harmonia da sua forma e do porte altivo da sua cabeça, o Pastor Belga deve dar a impressão de uma força elegante que se tornou na herança dos representantes seleccionados de uma raça de trabalho. O Pastor Belga será julgado na sua posição natural, sem contacto físico com o handler.

Cabeça

Portada alta, longa sem exagero, rectilínea, bem cinzelada e seca. O comprimento do crânio e do focinho são sensivelmente iguais, no máximo, com uma vantagem muito tênue para o focinho, o que confere, ao conjunto, uma sensação de fino acabamento.

Crânio

De largura média, em proporção com o tamanho da cabeça, com uma testa plana e não redonda, sulco sagital não muito pronunciado; vistas de perfil, as linhas superiores do crânio e do focinho são paralelas; crista ocipital pouco pronunciada; arcadas superciliares e zigomáticas não proeminentes.

Stop

Moderado.

Trufa

Preta.

Chanfro

De comprimento médio e bem cinzelado sob os olhos; estreitando gradualmente em direcção à trufa, como uma cunha alongada; cana nasal recta e paralela à continuação da linha superior da testa, boca bem dividida, o que significa que quando a boca está aberta as comissuras dos lábios estão puxadas para trás e os maxilares estão bem afastados.

Lábios

Finos, firmes e fortemente pigmentados.

Maxilas e dentes

Dentes fortes e brancos, regulares e fortemente implantados nos maxilares bem desenvolvidos. Mordedura em tesoura; a mordedura em torquês, que é preferida pelos pastores de ovelhas e de gado, é tolerada.  Dentição completa de acordo com a fórmula dentária, a ausência de dois pré-molares tipo 1 (2 PM1) é tolerada e os molares tipo 3 (M3) não são tomados em consideração.

Faces

Secas e bastante planas, embora musculadas.

Olhos

De tamanho médio, nem salientes nem profundos, ligeiramente amendoados, colocados obliquamente e de cor castanha, preferencialmente escuros; pálpebras pretas; Olhar directo, vivo, inteligente e interrogador.

Orelhas

Mais para o tamanho pequeno, inserção alta, aparência distinta triangular, base com a concha bem arredondada, pontiagudas, rígidas, portadas retas e na vertical quando o cão está em alerta.

Pescoço

Bem desenvolvido, ligeiramente alongado, bem musculado, alargando-se suavemente para os ombros, isento de barbelas; nuca ligeiramente arqueada.

Tronco

Poderoso sem ser pesado, comprimento da ponta do ombro à ponta da nádega é aproximadamente igual à altura no garrote.

Dorso

Firme, curto e bem musculado.

Linha Superior

A linha superior do dorso e do lombo é recta.

Garrote

Pronunciado.

Garupa

Bem musculada, apenas muito ligeiramente inclinada; suficientemente larga, mas não excessivamente.

Linha inferior e ventre

Começa abaixo do peito e ergue-se numa curva harmoniosa em direcção ao ventre, que não é nem caído, nem esgalgado, mas ligeiramente elevado e moderadamente desenvolvido.

Peito

Pouco largo, mas bem descido; parte superior das costelas arqueadas; visto de frente, o antepeito é pouco largo, mas sem ser estreito.

Cauda

Bem inserida, forte na raiz, de comprimento médio, atingindo pelo menos o jarrete, mas de preferência um pouco mais comprida; em repouso, é portada pendente com a ponta ligeiramente recurvada para trás, ao nível do jarrete; quando em movimento está mais levantada, mas sem ultrapassar a horizontal, a curva em direcção à ponta torna-se mais acentuada, sem nunca enrolar ou desviar-se.

Membros Anteriores

Ossatura sólida, mas não pesada; músculos secos e fortes; pernas dianteiras bem aprumadas vistas de todos os lados e perfeitamente paralelas quando vistas de frente.

Braços

Longos e suficientemente oblíquos.

Cotovelos

Firmes, não virando nem para fora nem para dentro.

Ombros

Escápulas longas e oblíquas, bem colocadas, formando um ângulo suficiente com o úmero, sendo o  ideal de 110-115°.

Antebraços

Longos e rectos.

Carpos

Muito firmes e limpos.

Metacarpos

Fortes e curtos, perpendiculares ao chão quanto possível, ou apenas muito ligeiramente inclinados para a frente.

Mãos

Redondas, pés de gato; dedos arqueados e bem fechados; almofadas espessas e elásticas; unhas escuras e grossas.

Membros Posteriores

Poderosos, mas não pesados; do perfil, os posteriores são bem aprumados e, visto de trás, perfeitamente paralelos.

Coxas

Comprimento médio, largas e fortemente musculadas.

Pernas

Parte de baixo das coxas de comprimento médio, largas e musculadas.

Metatarsos

Sólidos e curtos; ergôs não desejáveis.

Canela

Perto do chão, larga e musculada, angulação moderada.

Curvilhões

Aproximadamente alinhados com a anca; angulação normal do curvilhão.

Pés

Podem ser um pouco ovais; dedos arqueados e bem fechados; almofadas espessas e elásticas; unhas escuras e grossas.

Movimento

Movimento vivo e livre em todos os andamentos; o Pastor Belga é um bom  galopador mas os seus andamentos normais são a caminhada e, especialmente, o trote; os membros movem-se paralelamente ao plano mediano do corpo. A alta velocidade, os pés aproximam-se do plano mediano (movimento single tracking); no trote o alcance é médio, o movimento é equilibrado e fácil, com boa tracção traseira, e a linha superior permanece firme sem que os anteriores sejam levantados muito alto (movimento Hackney). Sempre em movimento, o Pastor Belga parece incansável; a sua marcha é rápida, ágil e animada. É capaz de fazer uma mudança reptentina de diracção em alta velocidade. Devido ao seu carácter exuberante e ao seu desejo de guardar e proteger, tem uma tendência marcante para se movimentar em círculos.

Pelagem

Pêlo

Em todas as variedades o pêlo deve ser sempre denso, fechado e de boa textura, formando com o subpêlo lanoso uma excelente cobertura protectora. O pêlo é muito curto sobre a cabeça, nas laterais externas das orelhas e nas partes inferiores das pernas. É curto sobre o resto do corpo e mais denso na cauda e em torno do pescoço, onde se forma um colar que começa na base da orelha estendendo-se até à garganta. A face posterior das coxas é franjada de pêlos mais longos. A cauda é eriçada, mas não forma uma pluma.

Cores

A máscara deve ser muito bem pronunciada e tende a englobar o lábio superior e inferior, os cantos dos lábios e as pálpebras numa só zona preta. São exigidos seis pontos de pigmentação da pele: as duas orelhas, as duas pálpebras superiores e os dois lábios, superior e inferior, que devem ser pretos. A pelagem é carbonada, isto significa que os pêlos têm uma ponta preta, que sombreia a cor de base. Este carbonado é flameado nunca devendo estar presente em grandes manchas nem em listras (tigrado). O Malinois é fulvo-carbonado com máscara preta. É tolerado um pouco de branco no peitoral e nos dedos.

Pele

Elástica, mas justa sobre todo o corpo; contorno dos lábios e pálpebras fortemente pigmentadas.

Dimensões

Proporções importantes

O Pastor Belga pode ser inserido num quadrado quando visto de perfil. O tórax é descido até ao nível dos cotovelos. O comprimento do focinho é igual ou ligeiramente superior do que a metade do comprimento da cabeça.

Altura ao garrote nos machos 

Ideal: 62 cm. O limite inferior é 60 cm e o superior é 64 cm.

Altura ao garrote nas fêmeas 

Ideal: 58 cm. O limite é inferior 56 cm e o superior é 62 cm.

Peso machos

Cerca de 25 a 30 kg.

Peso fêmeas

Cerca de 20 a 25 kg.

Medidas específicas

As medidas médias normais de um Pastor Belga macho adulto, com 62 cm ao garrote, são:

  • Comprimento do corpo (da ponta do ombro à ponta da nádega): 62 cm.
  • Comprimento da cabeça: 25 cm.
  • Comprimento do focinho: 12,5 a 13 cm.

Comportamento

O Pastor Belga é um cão vigilante e activo, cheio de energia, sempre pronto para entrar em acção. À sua aptidão inata para guardar rebanhos, junta ainda preciosas qualidades do melhor cão de guarda de propriedade. Sem qualquer hesitação, é um obstinado e forte defensor do seu dono. Reúne todas as qualidades necessárias para ser um cão pastor, de guarda, de defesa e de serviço. A sua vivacidade, temperamento alerta e natureza confiante, não mostrando nem medo nem agressividade, deve ser transmitida na sua postura corporal e na expressão altiva e atenta dos seus olhos brilhantes. Ao julgar esta raça, deve-se levar em consideração seu temperamento calmo e destemido.

Faltas

Qualquer desvio em relação ao estalão deve ser considerado como um defeito e será penalizado em função da sua gravidade e das suas consequências na saúde e bem-estar do cão.

  • Aparência geral: falta de elegância, atarracado; muito leve ou muito magro; mais comprido do que alto; corpo a encaixar num rectângulo.
  • Cabeça: pesada, muito forte, falta de  paralelismo, não suficientemente cinzelada ou seca; testa muito arredondada; stop muito acentuado ou muito plano; focinho muito curto ou enrugado; nariz romano; arcadas superciliares ou arcos zigométicos muito proeminentes.
  • Trufa, lábios e pálpebras: vestígios de despigmentação.
  • Dentição: incisivos mal alinhados. Falha grave: a falta de um incisivo, um pré-molar tipo 2 (1 PM2), uma pré-molar tipo 3 (1 PM3) ou três pré-molares tipo 1 (3 PM1).
  • Olhos: redondos e claros.
  • Orelhas: grandes, longas, muito largas na base, de inserção baixa, divergentes ou convergentes.
  • Pescoço: delgado; curto ou enterrado.
  • Corpo: muito longo, caixa torácica demasiado ampla (cilíndrico).
  • Garrote: sem se notar e baixo.
  • Linha superior: dorso e/ou lombo compridos, fracos ou arqueados.
  • Garupa: muito inclinada, muito desenvolvida.
  • Linha inferior: demasiado descaida ou levantada e excesso de  barriga.
  • Cauda: inserida muito baixa; portada muito alta, formando um gancho, desviada.
  • Membros: ossatura muito leve ou muito pesada; mal aprumados quando vistos de perfil (ex. membros anteriores muito inclinados ou carpo fraco) ou vistos de frente (pés virados para dentro ou para fora, cotovelos deslocados, etc) ou vistos de trás (posteriores muito juntos, afastados ou em forma de barril, jarretes fechados ou abertos); muito pouco ou exageradamente angulados.
  • Pés: abertos.
  • Movimento: fechado, passos muito curtos, pouca propulsão, má transmissão pelo dorso, hackney.
  • Pelagem: subpêlo insuficiente; pêlo semi-longo onde deveria ser curto; pêlo liso-duro; pêlos duros espalhadas ao longo do casaco curto; pêlo ondulado. 
  • Cor: marcação branca no peito formando uma gravata; cor branca nos pés, ultrapassando os dedos. Tigrado, tonalidade pouco quente; escasso ou excesso de máscara de carbono ou a sua disposição em remendos pelo corpo; máscara pouco pronunciada. Fulvo muito claro; uma cor de base que é muito diluída, chamada "desbotada", é considerada uma falta grave.
  • Temperamento: exemplares com falta de auto-confiança ou excessivamente nervosos.

Faltas eliminatórias

  • Temperamento: exemplares agressivos ou tímidos.
  • Aparência geral: atípicos.
  • Dentição: prognatismo superior; prognatismo inferior, mesmo que o contato não seja perdido (mordida em tesoura invertida); mordida cruzada; ausência de um canino (1 C), ausência de um dos pré-molares superior (1 PM4) ou inferior (1 PM1), um molar (1 M1 - maxilar superior ou 1-M2; M3 não são tidos em conta), um pré-molar 3 (1 PM3) mais qualquer outro dente ou um total de três dentes(excluindo os pré-molares 1) ou mais.
  • Trufa, lábios, pálpebras: fortemente despigmentados.
  • Orelhas: caídas ou mantidas erectas de uma forma artificial.
  • Cauda: ausente ou curta (no nascimento ou por corte); portada muito alta ou enrolada.
  • Pelagem: ausência de subpêlo.
  • Cor: todas as cores que não correspondem com as descritas; marcas brancas muito difundidas no antepeito, especialmente se chegarem até ao pescoço; branco nos pés, ultrapassando a metade dos metacarpos ou dos metatarsos, a formar meias; manchas brancas em qualquer parte que não no antepeito e nos dedos; falta de máscara, incluindo um focinho de cor mais clara do que o resto da pelagem.
  • Tamanho: fora dos limites definidos.
  • Qualquer cão que apresentar anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.

Resumo Histórico

No final de 1800, existia na Bélgica um grande número de cães pastores cujo tipo era variado e cujas pelagens eram extremamente diferentes. Para racionalizar esta situação, alguns criadores mais entusiastas formaram um grupo e procuraram a orientação do professor Adolphe Reul da Escola de Medicina Veterinária Cureghem, que era e é considerado o verdadeiro pioneiro e fundador da raça. Foi entre 1891 e 1897 que a raça foi oficialmente criada. Em 29 de setembro de 1891, em Bruxelas, que o clube do Cão do Cão do Pastor Belga (Club du Chien de Berger Belge) foi fundado, e nesse mesmo ano, a 15 de Novembro em Cureghem, o professor A. Reul organizou um encontro de 117 cães que lhe permitiu seleccionar os melhores exemplares. Nos anos seguintes, começou um verdadeiro programa de selecção, realizando-se alguns cruzamentos com a  mesma linhagem (inbreeding), utilizando um escasso número de reprodutores. A 3 de Abril de 1892, o primeiro estalão detalhado da raça foi elaborado pelo Clube do Cão Pastor Belga. Uma única raça era permitida, com três variedades de pelagem. No entanto, como foi dito na época, o Pastor Belga só pertenciam a pessoas comuns e, portanto, a raça ainda não tinha status. Foi por isso que só a partir de 1901 é que os primeiros Pastores Belgas foram registrados no Stud Book Royal Saint-Hubert Society (LOSH). Durante os anos seguintes, os entusiastas do Pastor Belga começaram a trabalhar com grande determinação para unificar a raça e corrigir as falhas. Pode dizer-se que em 1910 o tipo e temperamento do Pastor Belga tinha sido estabelecido. Durante a história do Pastor Belga, a questão das diversas variedades e cores aceites originou muitas discussões acaloradas. Por outro lado, qualquer coisa que envolva temperamento, morfologia e aptidão para o trabalho nunca causou qualquer discordância.

Outros

Utilização

Originalmente era utilizado para conduzir rebanhos. Hoje em dia é usado para trabalho (guarda, defesa, pistagem, etc) e para todo o tipo de serviços, bem como para cão de família.

Provas de Trabalho

Sim

Notas

  • Qualquer cruzamentos entre variedades são proibidos, excepto em circunstâncias excepcionais, por concordância das comissões de criação nacionais competentes (texto lavrado em 1974, Paris).
  • Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos na bolsa escrotal.

Número do estalão 15

Data de publicação do estalão de origem em vigor 22 Junho 2001

Data da última revisão Doglink 5 Março 2013

Traduzido por Doglink

Fonte Fédération Cynologique Internationale