Registo

GrupoGrupo 11 - Raças não reconhecidas pela Fédération Cynologique Internationale (FCI)

País de origemEstados Unidos da América

Data de origemXIX

Primeira utilidadeLuta contra cães

Características principaisCorajoso e destemido

TamanhoMédio

Peso12 - 30 kg

Altura35 - 52 cm

PelagemCurta

Esperança média de vida14 anos

Nivel energéticoElevado

Nível de brincadeiraElevado

Nível de afectoMédio

Exercício necessárioElevado

Experiência do dono com cãesElevado

Cuidados com a pelagemBaixo

Todo-o-terreno
Foto American Pit Bull Terrier

Sabia que

O cão mais medalhado da 1ª Guerra Mundial era um Pit Bull. O Stubby alcançou o estatuto de Sargento pela coragem e empenho demonstrado durante 18 meses de guerra. Alertou militares para ataques de gás e de artilharia, localizou soldados feridos e até ajudou a capturar um espião alemão.

O Pit Bull vive para agradar e satisfazer o seu dono, por isso estes cães são extremamente obedientes. No entanto, isto não significa que o treino de obediência possa ser deixado de lado ou dado como garantido. Disciplina e consistência, são fundamentais para qualquer cão. Para além disso, se está fascinado com esta raça, considere também que a energia infindável deste atleta deve ser canalizada e se a única actividade que lhe poderá proporcionar é o passeio à trela, então pode ter a certeza que ele irá dar 100% e o irá puxar com a mesma determinação que puxaria um bloco de cimento.

O Pit Bull tem uma força imensa, energia infindável e uma lealdade ao dono sem limites. Para além disso, a sua inteligência e alerta constante fazem com que se destaque em todas as actividades em que participa. Em Obedience, Agility, caça grossa, puxar obstáculos, pendurar-se, corrida... mostrando sempre um gameness incrível.

O instinto predatório em relação aos outros animais é algo que está bem marcado no Pit Bull, tal como na maioria dos Terriers. Por isso, se quer um cão que possa levar ao parque e que brinque amigavelmente com outros cães, escolha outra raça.

Como animal de família, um Pit Bull Terrier bem sociabilizado e treinado é uma óptima escolha. Aliás, antes da “histeria do Pit Bulls”, existiam muito mais histórias felizes que dramáticas. A raça Pit Bull Terrier é muito orientada à família mostrando uma lealdade e carinho infindável e é de uma devotação tal que daria a vida pela sua família. Adaptam-se bem quer à cidade quer ao campo, não exigindo muito cuidados com a sua pelagem. São animais que adoram a vida, e ao contrário da percepção do público em geral, possuem queda para fazer palhaçadas.

Infelizmente, o fenómeno Pit Bull passou do oito para o oitenta, ou seja, de um dia para o outro deixou de ser visto como um cão afectuoso (veja-se o exemplo da personagem Pete no filme Pequenos Marotos – The Little Rascals) para passar a ser o cão mais perigoso do mundo. Isto fez com que muitas pessoas irresponsáveis e mal intencionadas quisessem adquirir um Pit Bull e, claro, quanto mais donos irresponsáveis existem mais difamada é a raça.

Indicada hoje em dia como uma raça potencialmente perigosa, foram criadas leis para controlar quem possui um Pit Bull e para proibir as lutas de cães (já há mais de 15 anos!). Mas em Portugal é fácil fugir à lei e a mentalidade de muitos donos de Pit Bulls não é infelizmente a de reverter o que se diz sobre a raça. Se é um apaixonado pela raça e quer adquirir um Pit Bull, fale com os criadores, tire todas as suas dúvidas e lembre-se que ter um Pit Bull é também dar a conhecer a raça à sociedade, ou seja, o que o seu cão for, é o que as pessoas menos informadas irão dizer sobre a raça.