Registo
Foto Enterrar cães e donos?

Catanduva é a primeira cidade brasileira a aprovar uma lei que permite enterrar animais de estimação em cemitérios públicos na campa ou no jazigo da família dos donos. Esta lei entrará em vigor dia 1 de Janeiro de 2014. A mesma proposta de lei foi apresentada em São Paulo mas a igreja está a tentar impedir a aprovação do projecto.

Na passada quinta-feira, dia 29 de Agosto, o Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, foi à Câmara Municipal de São Paulo com uma missão: impedir a aprovação do projecto de lei que permite o que os animais domésticos sejam sepultados em campas ou jazigos comuns dos cemitérios municipais.

Os parlamentares alegam que os proprietários dos animais os consideram membros da família. "Quando um deles vem a falecer, além do extremo sofrimento da perda, as pessoas em geral desesperam sem saber que destino hão-de dar ao seu corpo", diz a proposta da lei.

O Arcebispo argumenta que a presença de jazigos de animais entre túmulos comuns poderia provocar um processo de depreciação da dignidade humana ou reconhecer aos animais uma dignidade igual à dos humanos, o que seria inaceitável...

Apesar de aprovado em primeira discussão na Câmara Municipal, ainda não há data para nova votação. Os autores da proposta aguardam uma manifestação do presidente da câmara, Fernando Haddad.

De acordo com Roberto Tripoli, um dos vereadores que apresentou a proposta de lei, esta possibilidade é uma exigência da sociedade e um direito do cidadão que paga para adquirir e manter um túmulo. "A pessoa que compra o espaço pode usá-lo como quiser. Se lá quiser enterrar um cão, qual é o problema? O Município não vai gastar nada com o transporte."

O vereador ressalta ainda que os poucos cemitérios e crematórios particulares destinados aos animais domésticos na cidade aplicam preços bastante elevados, impossibilitando praticamente o uso pela maioria da população.

Fonte: Estadao