Registo
Foto Criança arrisca vida para salvar cão atropelado

Ao ver a sua cadela ser atropelada, numa rua movimentada no Itajaí (Brasil), Jean Fernandes, com 11 anos, correu imediatamente para socorrê-la, sem pensar no perigo que corria.

“O motorista que atropelou a cadela nem parou para prestar socorro, algo bastante comum em Itajaí” segundo o médico veterinário Denilson Vargas da Silva, do Núcleo de Controlo de Zoonoses. Em média, o Núcleo atende por semana um cão atropelado. Nestes casos, a recomendação do médico veterinário é que não se mexa no animal até à chegada de um veterinário porque, se o cão estiver a sentir dor, este pode vir a morder.

Apesar do susto que aconteceu no dia 8 de Dezembro, a cadela está a recuperar bem. Ainda coxa, Mel tem recebido carinho extra da família Fernandes. Jean recorda toda a situação: “A Mel fugiu pelo portão e eu corri atrás para a apanhar. Na hora em que a vi ser atropelada corri para o meio da rua. Peguei-a ao colo e trouxe-a para casa” conta Jean.

A mãe do menino, Rúbia Liliana da Rosa, 36 anos, é professora e diz que educou assim os seus três filhos: “É preciso ter educação e respeito, com as pessoas e os animais.” Segundo Rúbia, Jean gosta tanto de animais que costuma levá-los para casa sempre que encontra algum abandonado. Não foi o caso de Mel, que foi adoptada quando ainda era cachorra pela irmã mais nova. O olhar entre Mel e Jean mostra bem a cumplicidade entre os dois. Segundo a mãe, embora Mel seja de toda a família, Jean é o favorito. “Gostamos de brincar à bola juntos. Agora ela não pode brincar porque causa das dores” diz Jean, enquanto acaricia Mel.

As fotos captadas pela fotógrafa Rafaela Martins, mostram a coragem e o amor do menino pela sua cadela.

E você o que faria se visse um animal atropelado?

Fonte: RodrigoRoller