Registo
Foto Sociabilizar o seu cão

Há 20 anos atrás, pouco se ouvia falar em sociabilização. Hoje em dia não há quem pergunte: “o seu cão está sociabilizado?” É realmente fantástico os donos terem ganho consciência de que ter um cão sociabilizado é importante. De facto, a sociabilização tem um impacto drástico na vida de um cão, no entanto, é necessário que esta seja feita correctamente – o que nem sempre acontece! Normalmente, há dois grandes equívocos no que toca à sociabilização. O primeiro mal entendido é:

Sociabilização significa somente introduzir o cão a coisas novas.

A mera exposição a novas coisas não significa sociabilização! É verdade que os cães precisam de exposição a novas situações, pessoas e animais, especialmente os cachorros com menos de 4 meses de idade. Mas para que a sociabilização seja efectiva, o seu cão precisa de associar algo positivo a essas novidades.

Os cachorros até aos 4 meses são “esponjas de aprendizagem”! Ao introduzir experiências positivas a novas situações, está a moldar o comportamento futuro do seu cachorro. As experiências positivas ensinam-lhe que as situações novas são divertidas e, de futuro, quando ele se deparar com elas novamente, fará uma associação positiva. No entanto, o mesmo se aplica às experiências negativas: o seu cão pode aprender que há certas coisas que são terríveis – mesmo não o sendo.

Se durante a sociabilização, um cão (qualquer que seja a sua idade) se esconder, babar-se, puxar a trela, tremer, ficar com o pêlo eriçado ou ganir, então ele não está a ter uma experiência positiva. Talvez o melhor seja mudar o método de sociabilização ou pedir ajuda profissional.

Então, qual a melhor maneira de sociabilizar o meu cão?

Para cada nova introdução, siga as regras básicas:

Crie espaço: Mantenha uma certa distância perante a nova situação / pessoa / objecto até que o cão mostre desejo de se aproximar.

Utilize recompensas: dar-lhe biscoitos que ele adora enquanto experiencia novas situações vai ajudá-lo a criar associações positivas. Além disso, perante uma nova situação se o seu cão não se mostrar interessado na comida, isto pode ser o primeiro sinal de que ele está nervoso. Se for o caso, afaste-se da situação até sentir que o cão se sente confortável.

Vá devagar: neste processo, quem dita o ritmo é o seu cão e não você. Se ele precisa de 5 minutos, dê-lhe 5 minutos. Forçá-lo a ir mais depressa, só o irá assustar e regredir o processo de sociabilização.

Se nenhum destes métodos parece estar a resultar com o seu cão, então talvez esteja preso ao segundo equívoco:

O meu cão precisa de mudar de comportamento, por isso, vou sociabilizá-lo.

Errado. A sociabilização não é o mesmo do que modificação de comportamento. Se o seu cão está a ter dificuldades em ficar confortável junto de certos grupos de pessoas (homens, crianças, pessoas com chapéus, etc.) ou ambientes (a passear de trela, no carro, etc.), então enquanto dono deverá ajudá-lo. Porém, a solução para este problema poderá não ser a sociabilização.

Se o seu cão tem menos de 4 meses de idade e já mostra sinais excessivos de medo perante novas situações (afastar-se da situação, esconder-se, ganir ou mordê-lo), então está perante uma emergência comportamental. Procure ajuda, contacte um bom treinador!

Se tiver um cão adulto que parece ter medo de outros cães ou pessoas, ou que não pode levar a passear porque ele não pára de ladrar, procure um treinador ou comportamentalista animal que o ajude a estabelecer um programa de modificação de comportamento para o seu cão. Nestes casos sociabilização por si só pode não ser suficiente.

Siga as regras básicas e tenha em consideração estes dois equívocos para que possa sociabilizar o seu cão com sucesso!

Passe a palavra e partilhe este poster, mantendo os direitos de autor.

Fonte: Robink Bennett, treinadora de cães.